Papai Noel não existe? Praticando preposições e contrações

Papai Noel não existe? Com este texto vamos praticar preposições e contrações

As preposições são usadas para ligar um termo a outro. Se as combinarmos com outras palavras teremos combinação ou contração.

Exemplo de preposição: cadeira de vime ⇒ preposição de ligando uma palavra a outra.

Combinadas com outras palavras:

Vou ao clube – preposição a + artigo o = combinação (combina porque não perde elementos)

Voltei do clube – preposição de + artigo o = contração (porque a preposição foi alterada)

Sempre dizemos que para as provas do Celpe-Bras não é necessário saber os nomes gramaticais. Mas é importante saber usar. Então, vamos aos exercícios?

Quer praticar um pouco mais? Leia então Preposições e contrações com os Minions

Papai Noel não existe mas as preposições e as contrações sim

Respostas:

Antes, as crianças descobriam que o Papai Noel não era real em/por/pelas conversas com os amigos ou ao achar os presentes ainda não embalados em algum canto da casa. Pesquisas apontam que 26% das crianças fazem a descoberta pela internet. A pesquisa foi feita em 13 países. No Brasil, 2.010 famílias foram entrevistadas. 41% das crianças brasileiras respondeu que tiveram suas primeiras suspeitas a respeito do Papai Noel depois de visualizarem anúncios online dos/com presentes que haviam pedido em/nas suas cartinhas.

Para estimular a crença das crianças, a empresa lançou um software gratuito que os pais podem instalar no computador e assim “esconder” conteúdos online capazes de levar as crianças a descobrirem prematuramente a verdade sobre o Papai Noel. O “conteúdo revelador” é substituído por uma imagem do/de Papai Noel em uma oficina de brinquedos.

O Estado de S. Paulo (adaptado).

Dúvidas ou sugestões?
foneticando.portugues@gmail.com
Adicionar a favoritos link permanente.

2 Comments

  1. Creí que PAPAI NOEL no llevaba artículo delante y coloqué la preposición DE en lugar de DO

  2. Oi Lucrécia. Não estaria totalmente errado não colocar o artigo antes de nome próprio. Quando eu generalizo, não coloco o artigo. Por exemplo:
    Eu gosto de museus.
    Quando especifico, então sim, coloco o artigo. Eu gosto DO Museu do Ipiranga.
    No caso do texto, estávamos falando de um Papai Noel específico.
    Uma parte do texto …levar as crianças a descobrirem prematuramente a verdade sobre O Papai Noel…
    E a tendência do brasileiro é colocar artigo em TUDO!
    Mas foi muito boa a sua pergunta. Abraço.

Comentários fechados.